DMP | Projeto desapego e matemática

Matemática simples



Eu sou declaradamente uma amante de livros físicos. Aliás, sou um clichê ambulante nesse sentido. Adoro tocar, sentir o cheiro, olhar para o livro na estante, todo lindão lá no espacinho dele. Porém, ao mesmo tempo, também sou uma pessoa em constante briga com o espaço do quarto que divido com a minha irmã. O que fazer para conciliar as duas partes? Conscientizar-me da necessidade de utilizar bem o pouco espaço que me cabe.
Esses dias eu fiz uma relação dos livros que tenho. 90, sendo que 6 já haviam sido doados anteriormente e 15 são livros digitais. Ou seja:

Dos 90 títulos da minha lista - 15 são digitais = 75 são físicos.

Dos 75 físicos - 6 já haviam sido doados para uma escola = 69 livros físicos.

Ainda que o número tenha sido reduzido para 69 livros físicos, ainda assim eram muitos para que eu conseguisse guardá-los satisfatoriamente na minha casa. A solução foi desapegar ainda mais e fazer mais contas:

Dos 69 livros que restaram - 27 não foram lidos. = 42 foram lidos.

Dos 27 não lidos - 6 eu realmente não queria ler (alguns guardados desde 2007, outros desde os anos de solteira da minha mãe - há mais de 30 anos). = 21 ainda serão lidos.

Dos 42 lidos - 9 eu não tinha a intenção de reler = 33 livros que quero reler ou simplesmente quero manter comigo por mais um tempo.

Releituras



O problema dos livros é que eles nos fazem sentir coisas. Muitas coisas, contraditórias e intensas. E, quando você pensa em se livrar deles... é complicado. As coisas ficam confusas e lá no fundo da sua mente, você pensa - não quero, não posso, não é justo.

Mas, acredite em mim, é preciso. Diga-me, qual é a utilidade de manter na sua estante um livro do qual você não gostou? Qual é o sentido de manter na estante um livro que passou mais de dez anos lá, sem ter sido sequer tocado? Não faz nenhum sentido. Sabe por quê? Porque, quanto mais você ler livros, mais você vai querer ler. Novos livros surgirão e, se você quiser tê-los, precisará de espaço para guardá-los. Se gostar deles tanto que tiver aquela coceirinha para reler de novo e de novo e de novo.

Eu sou uma pessoa que adora reler livros. Harry Potter, Orgulho e preconceito, Jogos Vorazes, são alguns dos meus favoritos, que nunca me canso de ler. Mas esse sentimento é reservado para pouquíssimos livros. Uma porcentagem muito pequena se considerar que já li mais de 100 livros. 109 para ser exata. 

7 Harry Potter + 3 Jogos vorazes + 1 Orgulho e preconceito + 3 Senhor dos Anéis + 1 O morro dos ventos uivantes + 1 A moreninha + 1 Senhora + 1 A resposta + 1 1984 = 19.

Viu? De 109 livros lidos tenho vontade de reler apenas 19. A verdade, meus amigos, é que nem todos os livros que vamos ler na vida entrarão para nosso hall de favoritos e, se é assim, pra quê mantê-los? Egoismo? Ostentação?

Conquistando novos corações



Não se esqueça da regra número um da vida: o que você gosta, alguém não gosta. E o que você não gosta, alguém gosta. Isso significa que aquele livro que está apenas ocupando espaço na sua estante, poderia estar entrando no hall de favoritos de outra pessoa, de repente criando um novo leitor, ou ajudando alguém a se formar na faculdade, ou simplesmente auxiliando na formação do senso crítico de mais alguém, além de você.

Não vivemos dizendo que o Brasil precisa de mais leitores? Que os livros são caros? Pois é... parece que a culpa não é só do governo malvado e das editoras malvadas, né? :P

Não estou dizendo que a partir de hoje vou me livrar de todos os meus livros, nem nada. Como eu disse, alguns quero reler, outros estão entre meus favoritos. Eu quero tê-los por perto. Mas também quero continuar comprando livros e, se eu gostar muito deles, quero ter onde guardá-los. Não estou em condição para ter uma estante cheia de livros que vão ficar parados para sempre.

Não faz muito tempo, minha tia juntou vários livros que ela e minha mãe tinham acumulado durante a juventude. Eram livros que vinham de "brinde" nos jornais, caso você juntasse não sei quantos selos e pagasse não sei quantos cruzeiros.

Recebi 20 livros, desses metade ainda estavam no saco. Há mais de 30 anos. E são livros como "Ana Karênina" (ortografia da época), "O morro dos ventos uivantes", e "O vermelho e o negro", que está foi relançado pela editora Cosac Naify.

O que fazer com os livros?


  • Doar para alguém que você conheça, que gosta de ler;
  • Doar para uma biblioteca de escola ou biblioteca pública;
  • Trocar ou vender no sebo;
  • Deixar pela cidade para que algum desconhecido pegue;
  • Vender para alguém que gosta de ler;
  • Doar para ONGs;
  • Trocar no Skoob;

Dando o exemplo

Muito bem, para ajudar quem ainda não criou coragem para desapegar, vou deixar aqui uma lista de livros dos quais abri mão:

1) Maya Fox: A predestinada - Silvia Brena e Iginio Straffi
2) Amor de perdição - Camilo Castelo Branco
3) Onze minutos - Paulo Coelho
4) Jornal Nacional
5) As veias abertas da América Latina - Eduardo Galeano
6) Tudo que é sólido desmancha no ar - Marshal Berman
7) Morte súbita - J. K. Rowling
8) Cinquenta tons de cinza - E. L. James
9) O retrato de Dorian Gray - Oscar Wilde
10) O crime do Padre Amaro - Eça de Queirós
11) A rosa do povo - Carlos Drummond de Andrade
12) Filhos do Éden: Herdeiros de Atlântida - Eduardo Spohr
13) Pedro médio e Rita doce - Telma Guimarães
14) Lucíola - José de Alencar
15) Os ratos - Dyonelio Machado
16) Três irmãs / Contos - Tchékhov
17) Longa jornada noite a dentro - Eugene O'Neill

Não é fácil...

... Mas você precisa ser realista e prático a respeito dos seus livros e seu espaço. Eu demorei muito para conseguir fazer isso. É doloroso para mim estar sempre tendo que me desfazer de algo meu para conseguir um pouco de espaço, mas a verdade é que não tem para onde correr. A vida não é fácil, seja você leitor ou não... =P

Comentários

  1. Corajoso de sua parte... hahahahahahaha

    Ainda não passei por essa necessidade de me desapegar; ainda estou me agarrando à idéia de ler todos os que tenho antes de comprar mais...

    Por exemplo, estou resistindo à tentação de comprar alguns seus, o que já é um bom sinal. :P

    É um tema muito importante, sabe. Tem uma moça - acho que você postou o vídeo dela um dia sobre 50 Tons de Cinza - que simplesmente vai desapegando de tudo o que lê, achei incrível. E realmente não faz sentido manter livros que você não queira reler.

    Antes, acharia o máximo ter uma biblioteca como a da Fera; hoje, parece mesmo uma ostentação, a menos que você vá usar realmente tudo. Lendo o seu texto, me pareceu que ter só os livros favoritos na estante uma coisa tão gostosa... passar os olhos por todos e não ter UM SÓ que não seja MUITO querido. Vou começar a fazer isso também, ótima dica!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Série | Resenha | Between - Primeira temporada

128 | Filmes assistidos | 6 - 10

Livro | Resenha | Os três mosqueteiros - Alexandre Dumas